Quem somos?
A designação APEQ - Associação Portuguesa das Empresas Químicas, associação empresarial e patronal da indústria química, surge em Julho de 1994, após várias modificações estatutárias e na continuação do Grémio Nacional dos Industriais de Produtos Químicos para a Agricultura e para a Indústria, cujo alvará datava de Janeiro de 1963.

A APEQ, conjuntamente com todas as suas congéneres europeias e em harmonia com as instituições de que é membro, nomeadamente a CIP - Confederação Empresarial de Portugal e o CEFIC -Conselho Europeu da Indústria Química, promove e estimula a iniciativa empresarial para a criação de riqueza e melhoria dos serviços prestados à comunidade, baseada numa economia de mercado que respeita o desenvolvimento harmonioso e sustentável da sua actividade, dando especial atenção aos aspectos socioeconómicos, saúde, segurança e ambientais das empresas associadas.

Desta forma, a actividade da APEQ envolve o contributo empenhado para a definição das políticas fiscal, social, económica, inovação, competitividade, ambiental e de sustentabilidade. A actividade da APEQ envolve também a política laboral, incluindo a sua intervenção na contratação colectiva de trabalho para o sector e no Diálogo Social Europeu entre entidades empregadoras representadas pelo ECEGEuropean Chemical Employers, a Sectoral Group of CEFIC, e empregados representados pelos seus legítimos representantes a EMCEFEuropean Mine Chemical and Energy Federation, sob a égide da Comissão Europeia.

A APEQ tem-se esforçado em transformar-se num Forum de Discussão dos Problemas da Indústria Química, mediante a apresentação da sua perspectiva e das soluções que preconiza para os seus associados junto das diferentes instâncias nacionais e internacionais da Administração, contribuindo para o reforço da capacidade negocial das empresas do sector.

OBJECTO

Agrupar as empresas que exercem a actividade industrial e/ou comercial dos produtos definidos no âmbito das Divisões 20 e 22 da actual Classificação Portuguesa das Actividades Económicas, segunda revisão.

FINS

  • Defender os interesses dos associados, o seu prestígio e dignificação
  • Promover o desenvolvimento harmónico e sustentável das suas actividades
  • Incentivar a solidariedade e entre-ajuda
     
COMPETÊNCIAS

  • Representação das empresas associadas    
  • Colaboração com entidades oficiais e outras
  • Promoção e divulgação e regras profissionais, normas de ética e deontológicas
  • Convenções colectivas de trabalho
  • Estudos, recolha e divulgação de informação e estatísticas
  • Assistência jurídica
  • Participação nas Associações nacionais e estrangeiras com fins idênticos
 
ÓRGÃOS SOCIAIS

  • Assembleia Geral - sócios efectivos
  • Direcção 
  • Conselho Fiscal
 
REGIME FINANCEIRO

Receitas: quotas e jóias, rendimentos de bens sociais, produto de serviços prestados aos Associados e outras receitas eventuais, outros benefícios, donativos ou contributos legais
Despesas: as que resultam dos encargos com a prossecução dos seus objectivos e fins estatutários

ESTRUTURA ASSOCIATIVA

  • Sócios efectivos e secções de actividade
  • Sócios extraordinários

MEIOS

  • Sede própria e Quadro de Pessoal com 7 Colaboradores
  • Assessores Seniores em Indústria Química, permanentes
  • Gabinete de Advogados, Gestão do Sistema Informático e de Comunicação de Dados, Serviço de Contabilidade, Consultoria Estatística e Dados Económicos em prestação de serviços contratados
  • Apoio de Técnicos Superiores de empresas associadas